Depois do grande impacto do trabalho (forçado) em home office que 2020 – acompanhado de uma pandemia que dispensa explicações – trouxe para a vida das pessoas, entramos no “retorno gradual às atividades”, o que para muitas empresas significa o trabalho híbrido.

Para começar, entenda que o trabalho híbrido corresponde a um modelo de trabalho que possibilita que o funcionário alterne durante a semana o local onde irá trabalhar, que pode ser no escritório, na sua casa ou em um outro local em que seja possível que ele desempenhe suas funções (como um café ou um coworking).

Algumas empresas líderes globais no mercado de tecnologia já anunciariam, inclusive, mudanças em suas plataformas e compartilharam insights de como facilitar essa nova migração do modelo de trabalho (veja alguns insights compartilhados pela Microsoft).

Compilamos nesse post alguns insights importantes que você deve considerar ao pensar ou decidir pelo modelo de trabalho híbrido.

#1 O trabalho flexível veio para ficar:

A pesquisa Work Trend Index revelou o que muitos de nós já desconfiávamos: o modelo de trabalho adotado pela empresa impacta diretamente na escolha dos profissionais por permanecer ou ingressar nela.

De acordo com os dados da pesquisa, mais de 70% dos trabalhadores querem que as opções flexíveis de trabalho remoto continuem, enquanto mais de 65% desejam mais tempo pessoalmente com suas equipes.

Ou seja, os dados deixam claro que extrema flexibilidade e trabalho híbrido definirão o local de trabalho pós-pandemia.

#2 A alta produtividade está mascarando uma força de trabalho exausta

A autoavaliação dos níveis de produtividade permaneceu igual ou aumentou para muitos funcionários no ano passado, mas a pesquisa revela que para isso ocorrer houve um custo humano.

Um em cada cinco entrevistados da pesquisa global disse que seu empregador não se preocupa com o equilíbrio entre vida pessoal e profissional. O estudo ainda revelou que 54% dos entrevistados se sentem sobrecarregados e 39% se sentem exaustos.

Trazendo informações disponibilizadas pela Microsoft, como exemplo, o tempo gasto em reuniões do aplicativo Microsoft Teams mais do que dobrou (2,5 vezes) globalmente e continua a aumentar. O impacto disso é tão grande que a Microsoft ensinou como configurar pausas automáticas no Outlook.

O retorno às atividades presenciais pode significar uma redução do esgotamento digital das pessoas.

#3 Incentivando a inovação

As equipes estão mais isoladas em um mundo de trabalho digital. E inovar requer colaboração entre diferentes pessoas, com diferentes visões sobre o mundo.

As tendências de colaboração mostram que as interações com as equipes diretas foram fortalecidas com a mudança para o trabalho remoto. No entanto, nossas interações fora dessa equipe diminuíram. Felizmente, a pesquisa sugere que o trabalho híbrido pode ajudar a reviver o networking.

O 2021 Work Trend Index descreve as descobertas de um estudo com mais de 30.000 pessoas em 31 países e uma análise de trilhões de sinais de produtividade e trabalho no Microsoft 365 e no LinkedIn. Caso tenha interesse, você pode acessar a pesquisa e obter outros insights relevantes.

Escolhi o trabalho híbrido: e agora?

Lembre-se sempre: se um colaborador está trabalhando remoto, todos estão. O seu escritório não é mais apenas o espaço físico da empresa, então invista em:

– Capacitar as pessoas para esse modelo: comece criando um plano para auxiliar os colaboradores no desenvolvimento do seu trabalho. Responda perguntas de como irá funcionar, quem precisará ir a empresa e em que dias, se essa ida será flexível entre outros aspectos práticos. Se possível, forneça treinamentos que ajudem a desenvolver habilidades necessárias a esse modelo de trabalho flexível.

– Ferramentas: assim como foi no home office, é preciso fornecer ferramentas que possibilitem que todos os colaboradores sejam ouvidos, tanto os que estão no escritório quanto trabalhando remotamente. Não esqueça de garantir a segurança dos dados das pessoas e da empresa em qualquer que seja o local de trabalho.

– Combater a exaustão: lidar com o esgotamento deve ser uma prioridade para os líderes. Não será fácil, mas considere abraçar um equilíbrio de colaboração síncrona e assíncrona e criar uma cultura em que as pausas sejam incentivadas e respeitadas.

– Difundir a cultura da colaboração: incentive conversas entre os funcionários não mais de forma passiva, para compartilhar demandas, mas também como forma de compartilhar conhecimentos e experiências. Busque criar uma cultura que apoie e recompense o trabalho em equipe.

Quer conhecer mais ferramentas que possibilitem, apoiem e entreguem segurança para o home office? Entao fale conosco!






    *Ao informar meus dados, aceito a Política de Privacidade