Texto: Laura Nunes
Revisão: Antônio Carlos Barros

Por que gerenciar ativos de software? Porque software é caro. O custo do Software representa 25% do custo de toda a TI, por isto tem de ser bem gerenciado.

Falando em dados, 30% dos softwares adquiridos pelas empresas não são utilizados. Por outro lado, para cada licença comprada outra é utilizada irregularmente.

Pode-se passar por auditorias de software quando menos se espera, então para isso, é bom estar preparado. Para evitar estas questões, é importante acompanhar, controlar e monitorar o uso de software. Quem instalou? Como medir o uso? Como controlar?

Apresento, então, 5 motivos da importância dessa gestão:

#1 – Redução de Riscos

  • Custos inesperados devido a auditoria com negociações desfavoráveis com os fornecedores de software;
  • Minimização de riscos de segurança;
  • Reputação da empresa/Marketing;
  • Riscos de ações por utilização de software não licenciado, consumo de tempo e mão de obra para busca da documentação dos softwares;
  • Falta de análise quanto ao melhor modelo de licenciamento;
  • Riscos de multa por software não conforme, compras inadequadas, compras apressadas, não programadas, aquisição em duplicidade, aquisições desnecessárias de softwares que não são utilizados.

#2 – Benefícios Financeiros

  • Compras com conhecimento do que é necessário, nem mais, nem menos;
  • Padronização;
  • Redução de custos com suporte, decorrente desta padronização;
  • Desembolso programado;
  • Negociação com fornecedor;
  • Planejamento estratégico alinhado com o financeiro e o tecnológico.

#3 – Benefícios Operacionais

  • Otimizar a reutilização de ativos;
  • Viabilizar a segurança da informação;
  • Aumentar o grau de maturidade de TI;
  • Aumentar a produtividade de TI;
  • Programação de mudanças;
  • Software como consumo ou imobilizado, investimento dimensionado e previsível pela empresa.

#4 – Superar as dificuldades na Gestão de Ativos de Software

  • Complexidade das métricas de licenciamento de softwares pelos desenvolvedores;
  • Informações imprecisas das ferramentas de inventário dos softwares;
  • Mudança constante da forma de licenciamento pelos fornecedores;
  • Registros incompletos dos direitos de licenças de software;
  • Diversidade das formas de licenciamento e contratos;
  • Realização de inventário de equipamentos móveis, software em nuvem, virtualizações.

#5 – Aumentar a Segurança da sua TI

  • O Gerenciamento de ativos de software é uma das principais ferramentas de segurança, identificando atualizações, patches de segurança aplicados e utilização de “cracks”. O SAM pode controlar quais softwares estão atualizados e quais não estão;
  • Os patches de segurança são as principais ferramentas dos desenvolvedores de malwares;

Finalizando, o Gerenciamento dos Ativos de Software torna-se imperativo, é uma tarefa que não deve ser negligenciada pela TI e deve estar presente nas metas de todo Gestor de TI.

Recomendamos a implantação de um programa de SAM, busque ajuda de consultores especializados no assunto, que possam ajudar a sua empresa nesta tarefa, melhorando a sua maturidade e economizando seus custos.